Anos de 2000

FESTAS JUNINAS.

 

A HISTÓRIA JUNINA CONTADA EM VERSOS.

 

Povo festeiro é o de Redenção.

Desde Boca da Mata ,

Os pés saltitavam,

Mesmo na luz do lampião,

Os festejos aconteceram.

E escreveram os seus nomes             

Nos encantos deste chão.

 

Na década de 70, a luz era a do motor,

As festas aconteciam nas escolas e nas casas,

 tarde não dançavam,

  Porque antes da meia noite o motor desligava.


As festas Juninas eram com roupas  floridas,

 barbas feitas de carvão,

 os namoros aconteciam na escuridão.

Comidas e danças com maestria,

 sempre ocorria.

 

 Década de 80 as festas aconteciam na Escola Palma Muniz,

 o povo amava, lotavam  o arrasta pés.

Professores,alunos faziam poses para as fotos.

 

Na igreja faziam votos,

 mas, também lá fora aconteciam os leilões,

  leitőes, frangos, bolos,

Eram festanças com fartura,

 A amargura passava longe dali.

 

.

Anos 90 a festa continuou,

Igrejas, escolas, Clubes, em casa.

 

 Mas, o povo modernizou

E em abril de 2000 um grupo teve uma ideia brilhante!

E para ninguém reclamar os seus nomes vou citar: Denilson Lima,

Solange Saavedra, Edvan Rodrigues .

Formaram a primeira Quadrilha Junina Moderna do Sul do Pará.

Com o nome:  Explosão de Redenção.

 

Mas, foi pipoco de títulos,

 vinte e três em primeiro lugar,

três como vice e três em terceiro,

 vários títulos de participação.

 

Os ensaios eram na Escola Batista Arantes,

Eram arrepiantes o seu bailar.

 

Mas, um triste episódio ocorrido em 2019.

 Um homem com o coraçao cheio de ódio,

Calou os passos e o Sorriso de Denilson Lima.

Todos ficaram desanimados e  pensaram em parar.

 

Mas, a esperança e o amor a arte

 Fez brotar a alegria e acabando com as noites vazias e sombrias.

 

  Em 2007 para abrilhantar e encantar mais ainda.

 Surgiu o Encantado Junino.

Os fundadores eram seis amigos,

  Já participavam dos festejos da cidade.

Jovens que amavam dançar:

 Tiago Silva, Leonardo Costa,  Adriano Nunes,    

Flávio Taveira, Antônia dos Santos e Paulo Roberto.

 

Levaram o seu bailar para os municípios vizinhos  foram sucessivamente campeãs.

O grupo cresceu e eferveceu, eram 80 a 90 participantes.

Para que ninguém se espante também tinha a Mirim, não fizeram feio,

Campeãs também se tornaram e muito orgulharam os Redencenses.

 

Mas, em 2016 houve o encerramento das atividades.

A semente não morreu, germinou, deu frutos.

Surgiu A Junina Coração Caipira,

 bailavam na quadra da Escola Ronan Fidélis de Melo.

Bonito também fizeram,

 Levaram o nome de Redenção

muitas vezes a campeã.

Muitas também encantaram a população:

Explosão de  Redenção,

Flor do Sertão ,

Encanto Junino,

Maria do Ó. A Revolução,

Fogo no Rabo,

Explode Coração,

Kit Tora,

Tramalucos,

 Matuto do Belo Centro.

Com os encantos Juninos,

 alegram o coração, tristeza não chega perto.

Todos ficam boquiabertos, vendo tanta beleza!

  Destreza no corpo, os pés na avenida encantam os corações,

  Emoção é o nome dos foliões.

                                            Sandra Fiuza