Ano de 1972

PRIMEIRA IGREJA

Foi também de Luiz Vargas a iniciativa de se construir, em 1972, a primeira igreja de Redenção. Nos primórdios, era uma capela aberta equipada com aparelho de som e sino, que foi então entregue para Dom Estevão de Avellar, então bispo da prelazia de Conceição do Araguaia. A capela foi inaugurada no dia 26 de novembro de 1972, dia da festa do Cristo Rei e se tornou Paróquia do Cristo Redentor, com a chegada do primeiro padre que passou a residir na cidade, o padre Sebastião Brito.

GIOVANNI QUEIROZ

Nascido em Campina Verde (MG), EM 15/ 07/1946, sendo seus pais Fredesvindo Geraldo de Queiroz e Maria da Conceição Corrêa , formou-se em Medicina no Rio de Janeiro em 1971. Pouco antes de tornar-se médico, em 1970, foi motivado a se mudar para a Amazônia pela propaganda do governo Médici. Depois de formado conheceu Luiz Vargas, em Goiânia, que o incentivou a se mudar para Redenção. Em setembro de 1971 viajou, em companhia de seu pai até Conceição do Araguaia, onde um de seus tios já havia comprado uma fazenda. Nessa época só havia um médico em Conceição. 

Ao chegar a Redenção, em 27 de março de 1972, começou imediatamente a prestar serviços como médico, atendendo moradores enfermos. Muitos moradores estavam com malária e Giovanni ajudou muitos pacientes a se recuperar, adquirindo prestígio e tornando-se, em pouco tempo, muito popular no povoado. 

Giovanni permaneceu como médico em Redenção até 1976, quando resolveu se candidatar a prefeito de Conceição do Araguaia. Era o representante da nova elite agrária que migrou para a Amazônia após a abertura da rodovia Belém-Brasília, principalmente das empresas agropecuárias de origem paulista, como a Companhia de Terras da Mata Geral e o grupo Lunardelli. Foi eleito pela Arena, com 66% dos votos derrotando os representantes locais apoiados pelo governo do Pará. Seu mandado como prefeito de Conceição foi de 1977 a 1982. Sua eleição significou, portanto, a abertura da articulação da economia local com a nacional, fortalecendo os interesses da empresa agropecuária e demarcou um processo de emergência da localidade de Redenção como polo aglutinador do poder político-econômico na região. Quando deixou a prefeitura, retornou a Redenção, em 1983, organizou e ajudou a fundar o Sindicato Rural de Redenção .

CAMPANHA ELEITORAL.

FAZENDA DO DR. GEOVANI

Nessa ocasião, seu pai adquiriu da Companhia de Terras da Mata Geral, controlada por João Lanari do Val, uma gleba de terras para Giovanni formar fazenda na região do vale do rio Pau D’Arco, situada a 55 quilômetros de Redenção, às margens da então rodovia PA-70, depois PA 150.

CHOCOLATE

José Luiz Teodoro, popularmente conhecido como Chocolate e, nasceu em Araxá (MG) e veio para o Pará incentivado por Carlos Ribeiro e Luiz Vargas. 

veio para Redenção em 1972, na companhia de Benedito Vargas, irmão de Luiz Vargas. Logo que chegou, adquiriu de Ademar Guimarães um lote urbano na área central do povoado, comprou tábuas, da única serraria localizada na área urbana, e madeira para a estrutura da construção, pernas-mancas, esteios etc., da serraria Pau D’Arco. Terminada a obra, inaugurou, ainda no primeiro semestre de 1972, a primeira churrascaria de Redenção, a churrascaria Boi na Brasa, que se situava onde atualmente funciona a loja Levis, em frente à padaria, na avenida Santa Tereza. Chocolate Algum tempo após a abertura da churrascaria, abriu uma boate ao lado da mesma. Com os lucros desses negócios resolveu construir, em terreno que adquiriu bem em frente da mesma, a primeira padaria mecanizada da cidade. A padaria começou a funcionar ainda em 1972, quando Chocolate passou a se dedicar só a ela, alugando a churrascaria 

PRIMEIRA PANIFICADORA



Primeira diretora

Rosa Borges veio passear em Redenção em janeiro de 1971, conversando com Luiz Vargas, ele disse que queria montar uma escola,  ela era recem formada  e foi  convidada para ser a primeira diretora  , a mesma aceitou e ganhou um lote para montar a primeira  papelaria em Redenção, mas ele fez um pedido, a primeira  papelaria tinha que ser da mesma cor da escola.

Em março do mesmo ano  ela e o esposo chegaram com a mudança.

E começaram a construir a Papelaria Anapolina e também ser a primeira diretora da escola Irmã Gabriela.


PRIMEIRA ESCOLA

A PRIMEIRA ESCOLA: IRMÃ GABRIELA.

A escola funcionava na Avenida Independência, ficou nesse endereço até 1978, após os alunos e funcionários foram transferidos  para o prédio da escola recém inaugurada Palma Muniz.

E a escola Irmã Gabriela foi extinta, ressurgindo na administração do prefeito Arcelides Veronese em outro endereço em um imóvel alugado. 

 Após foi construído o prédio onde está até hoje na Avenida Guarantã - Jardim Umuarama,  

PRIMEIRA PAPELARIA

A primeira papelaria 

Havendo a necessidade  em ter uma papelaria para os alunos comprarem o seu material escolar, Luiz Vargas doa a área para a construção próxima a escola.

O nome da nova papelaria  era Anapolina, pois seus proprietários vieram da cidade de Anápolis ,Goiás, fizeram a homenagem a cidade de origem e seus donos eram: Divino Bonifácio  e Rosa Borges.

VÍDEO DOS ALUNOS DA PRIMEIRA ESCOLA.



PRIMEIRO HOSPITAL

A primeira unidade médico-hospitalar foi instalada por Giovanni Queiroz, em 1972, o Hospital Nossa Senhora da Conceição e funcionou durante quase um ano com iluminação à lampião de gás e lanterna. 

Família Brito

A família Brito chegou em Redenção 1972, chegando primeiro Isaura e seu esposo Dijalma, após sua mãe e irmãos.

Isabel Maria Brito Pimentel conta sobre sobre as conquistas e dificuldades enfrentadas em chegar em um distrito de Conceição do Araguaia, onde a maioria das casas eram de pau a pique e cobertura de folha de babaçu, sem energia elétrica, telefone, a comunicação era por cartas para os famíliares que ficaram em outro estado, demorava meses para receber novamente a resposta.